sexta-feira, 8 de abril de 2016

Transformação é sobre sua história pessoal



Meditações Diárias

Venho já a algum tempo implementando as meditações em meu dia a dia de forma a aprender a me concentrar e aquietar meus pensamentos e emoções para o início de um novo dia.

Hoje é o 15º dia. Pensamento Central: Minha história é sobre nutrir minha vida em todos os sentidos.

Esta é uma prática de meditação guiada que iniciei através do Deepack Chopra e Oprah Winfrey. Alto recomendo para os próximos (caso você tiver interesse deixarei o link no fim da postagem.)

O mantra de hoje é OM DURGAYAY NAMAH - Eu reverencio a energia de nutrição da vida.

Mensagem do dia: " Você escreve sua história de vida através das escolhas que você faz" Helen Mirren
Todos estamos vivendo cada um a sua história, e toda história tem seus altos e baixos, pontos baixos e pontos altos. Mas o que é importante é o tema que estrutura e guia nossa história.

Quando nossa história é positiva, com temas de apoio à vida, você encontrou a chave para a transformação. Mudar seu tema é mais efetivo do que tentar consertar suas questões uma por vez. Os temas mais importantes incluem iluminação, valorização, auto-aceitação, evolução e amor.

Seu tema deve ser destinado a lhe dar bem-estar todos os dias. Deve abrir à novas possibilidades. Deverá lhe dar otimismo pois você está se renovando.

Link para o curso: https://chopracentermeditation.com/

O que você achou deste post? Te ajudou a refletir um pouquinho? Me dê um feedback!

Namaste
Nádia

segunda-feira, 14 de março de 2016

Vertigens de um Relacionamento


Trata-se de coragem para mergulhar na causa de nossas feridas. O processo de cura interna exige um movimento de energias que lida com a ancestralidade e também nossos descendentes.
Quando um relacionamento está um caos, a maioria de nós lida superficialmente: ou evitamos discutir o assunto fazendo vista grossa para a realidade que nos atinge, ou resolvemos literalmente não mais discutir para não criar discórdia.
Então lhe convido a ler esta matéria a qual retirei em sua grande parte do livro Mulheres que Amam de Mais de Robin Norwood – Quando você continua a desejar e esperar que ele mude.
Questões familiares são repassados de mãe para filha, de neto para bisneto e quando não nos damos conta, continuamos a vivenciar inconscientemente padrões negativos perpetuando a negação, a rejeição e necessidade de controle.
A crença ocidental baseia os relacionamentos em romances de conto de fadas através de uma interpretação deturpada onde existem mulheres redimindo homens por meio de um amor altruísta, perfeito e que tudo aceita.
“Em A Bela e a Fera, uma jovem bela e inocente encontra um monstro repulsivo e assustador. Para salvar sua família da ira do monstro, ela concorda em viver com ele. Após conhece-lo melhor, acaba superando sua aversão natural e passa a amá-lo apesar de sua persona animal. Então, é claro, acontece um milagre, e ele é libertado de sua aparência monstruosa e devolvido ao seu verdadeiro eu, não só humano como também principesco
As verdades espirituais são muito difíceis de compreender, e ainda mais de ser postas em prática, pois frequentemente vão contra valores contemporâneos. Por isso, há uma propensão a interpretar o conto de fadas de um modo que reforça a tendência cultural. Assim, é fácil perder todo o seu significado mais profundo.
A tendência cultural que esse conto de fadas parece enfatizar é a de que uma mulher pode mudar um homem se o amar o suficiente.
Essa crença, tão forte e difundida, está no cerne de nossas psiques individuais e grupais. A suposição tácita de que podemos mudar alguém para melhor por meio da força do nosso amor e de que, se somos mulheres, é nosso dever fazer isso, reflete-se repetidamente em nosso discurso e comportamento diário. Quando alguém com que nos importamos não age ou se sente como desejamos, procuramos modos de tentar mudar o comportamento ou humor dessa pessoa, geralmente com a bênção daqueles que nos aconselham e encorajam nossos esforços. (...) Até mesmo a mídia participa disso, não só refletindo esse sistema de crença como também, com sua influência, reforçando-o e perpetuando, e ao mesmo tempo continuando a delegar tarefas para as mulheres.
Por que a ideia de transformar alguém infeliz, doentio ou algo pior em nosso parceiro ideal nos agrada tanto? Por que esse é um conceito tão sedutor, tão duradouro?
Para alguns, a resposta parece óbvia: o conceito de ajudar os menos afortunados está incorporado à ética judaico-cristã. Ensinam-nos que é nosso dever reagir com compaixão e generosidade quando alguém tem um problema. Não julgar, mas ajudar; essa parece nossa obrigação moral.
Infelizmente esses motivos virtuosos de forma alguma explicam totalmente o comportamento de milhões de mulheres que escolhem como parceiros homens cruéis, indiferentes, abusivos, emocionalmente indisponíveis, viciados ou de outro modo incapazes de ser amorosos e interessados. As mulheres que amam de mais fazem essa escolha devido a uma grande necessidade de controlar aqueles que lhe são mais próximos. Essa necessidade se origina em uma infância na qual muitas emoções opressivas frequentemente são experimentadas: medo, raiva, tensão insuportável, culpa, vergonha, pena dos outros e de si mesma. Uma criança que cresce em um ambiente desses pode ser devastada por essas emoções a ponto de só conseguir funcionar desenvolvendo modos de se auto proteger. Suas ferramentas de autoproteção sempre incluem um mecanismo de defesa poderoso, a negação, e uma motivação subconsciente igualmente poderosa, o controle.
A negação pode ser definida como uma recusa a reconhecer a realidade em dois níveis: no nível do que realmente está acontecendo e no nível do sentimento. (...) Além disso, se um membro da família tentar por fim a essa negação, por exemplo, descrevendo a situação familiar em termos exatos, em geral o resto da família resistirá fortemente a essa percepção. Com frequência farão uso de ridicularização para realinhar essa pessoa ou, se isso falhar, o membro da família renegado será excluído do círculo de aceitação, afeição e atividade.
Ninguém que usa o mecanismo de defesa da negação escolhe conscientemente se dessintonizar com a realidade para deixar de registrar corretamente o que os outros estão dizendo e fazendo.
E ninguém em que a negação está operando decide não sentir suas próprias emoções. Tudo isso “simplesmente acontece” quando o ego, em sua luta para oferecer proteção contra conflitos, fardos e medos opressivos, elimina informações que são problemáticas demais.
Uma mulher que habitualmente pratica a negação e o controle será arrastada para situações que exijam essas características.
A negação, mantendo-a fora de contato com a realidade de sua situação e sentimentos com respeito a essa realidade, a levará para relacionamentos repletos de dificuldades. Então ela empregará toda a sua capacidade de ajudar/controlar para tornar a situação mais tolerável, ao mesmo tempo negando o quanto realmente é ruim  a negação alimenta a necessidade de controlar, e o fracasso inevitável em controlar alimenta a necessidade de negar.
Voltando ao conto de fadas A Bela e a Fera, parecia ser um meio de perpetuar a crença em que uma mulher tem o poder de transformar um homem se o amar com devoção. Nesse nível de interpretação, a história parece defender a negação e o controle como métodos para alcanãr a felicidade. Bela, amando o temível monstro inquestionavelmente (negação), parece ter o poder de muda-lo (controla-lo), tal interpretação parece certa, porque se encaixa nos papéis sexuais que nossa cultura impõe. Contudo essa interpretação simplista ignora em grande parte o significado dessa história consagrada pelo tempo. Ela não perdura porque reforça os preceitos culturais e os estereótipos de uma era. Perdura porque incorpora uma lei metafísica profunda, uma lição vital de como viver bem e com sabedoria.
Então, qual é o ponto principal de A Bela e a Fera? É a aceitação.
A aceitação é a antítese da negação e do controle. É uma disposição de perceber qual é a realidade e deixa-la existir, sem necessidade de muda-la. Nisso reside uma felicidade que não provém de manipular condições externas ou pessoas, mas desenvolver paz interior mesmo diante de desafios e dificuldades.
Lembre-se de que no conto de fadas a Bela não tinha nenhuma necessidade de mudar a Fera. Ela o estimava realisticamente, o aceitava como era e apreciava suas boas qualidades. Não tentou transformar o monstro em um príncipe.
Devido a atitude de aceitação da Bela, a Fera ficou livre para se transformar em seu próprio melhor eu. O fato de seu verdadeiro eu ser um belo príncipe (e um parceiro perfeito para ela) demonstra simbolicamente que ela foi muito bem recompensada por sua aceitação.
A verdadeira aceitação de um indivíduo como ele é, sem tentar muda-lo por meio de incentivo, manipulação ou coerção, é uma forma elevada de amor muito difícil de ser praticada pela maioria de nós. No fundo de todos nossos esforços para mudar outra pessoa já um motivo basicamente egoísta, uma crença em que se a mudarmos seremos felizes. Não há nada de errado em querer ser feliz, mas colocar a fonte dessa felicidade fora de nós, nas mãos de outra pessoa, significa evitar nossa capacidade e responsabilidade de mudar nossa própria vida para melhor.
Se por exemplo, o parceiro de uma mulher é um workaholic e ela reclama com ele das longas horas que passa fora de casa e lhe implora para não fazer mais isso, qual costuma ser o resultado? Ele passa o mesmo tempo ou mais longe dela, sentindo que tem o direito de fazer isso para fugir de suas intermináveis lamentações. Em outras palavras, ao reclamar, implorar e tentar muda-lo, na verdade a mulher permite acreditar que o problema entre eles não é a compulsão por trabalho, mas os resmungos dela. De fato, a compulsão da mulher por mudá0lo pode contribuir tanto para a distância emocional entre eles quanto a compulsão por trabalho por ele.
A compulsão por trabalho é um distúrbio sério, como são todos os comportamentos compulsivos. Serve a um objetivo na vida do marido, provavelmente evitar que ele experimente a intimidade que teme e o afloramento de várias sensações desagradáveis, principalmente ansiedade e desespero. (...) A tarefa de sua esposa não é endireitar a vida do marido, mas melhorar a dela.
Frequentemente não reivindicamos nossa felicidade porque acreditamos que o comportamento de outra pessoa nos impede de fazer isso. Ignoramos nossa obrigação de nos desenvolvemos enquanto tramamos, manobramos e manipulamos para mudar outra pessoa, e ficamos zangadas, desanimadas e deprimidas quando nossos esforços falham.
Para a esposa de um workaholic ficar livre para ter uma vida própria satisfatória, independentemente do que seu marido faça, ela deve passar a acreditar que o problema é dele e não dela, e que não está ao seu alcance e nem é seu dever ou direito de muda-lo. Deve aprender a respeitar o direito dele ser quem é, embora preferisse que ele fosse diferente.
Quando ela faz isso, fica livre – livre de ressentimento pela indisponibilidade dele, livre de culpa por não ser capaz de muda-lo e livre do peso de tentar sempre mudar o que não pode. Com menos ressentimento e culpa ela pode começar a sentir uma maior afeição por ele e as qualidades nele que realmente aprecia.
Quando ela desistir de tentar muda-lo e redirecionar sua energia para desenvolver seus próprios interesses, experimentará felicidade e satisfação, não importa o que ele faça. Pode acabar descobrindo que seus objetivos são suficientemente satisfatórios para ela ter uma vida própria rica e gratificante, sem grande companheirismo por parte de seu marido. Ou, à medida que ela for se tornando cada vez menos dependente dele para sua felicidade, pode chegar à conclusão e decidir seguir com sua própria vida livre do constrangimento de um casamento insatisfatório.
Nenhum desses caminhos é possível enquanto a mulher precisar que o homem mude para ela ser feliz.
Até que o aceite como é, ficará paralisada em um desenho animado interrompido, esperando que ele mude para poder começar sua vida.
Quando uma mulher que ama demais desiste de sua cruzada para mudar o homem em sua vida, ele reflete sobre as consequências de seu próprio comportamento. Como ela não está mais frustrada e infeliz, mas cada vez mais animada com a vida, o contraste com a própria existência dele se intensifica. Ele pode escolher tentar se livrar de sua obsessão e se tornar mais disponível física e emocionalmente. Ou não. Mas independentemente do que ele decida fazer, ao aceitar o homem em sua vida exatamente como ele é, de um modo ou outro a mulher se torna livre para viver sua própria vida – feliz para sempre.”

por Nádia Bouças
Bibliografia: Norwood; Robin (2008) - Whomen Who Love Too Much





sábado, 27 de fevereiro de 2016

Caminhos para limpar a dor de um Abuso Sexual


Um Novo Começo - É doloroso e preciso discorrer sobre um assunto tão importante quanto os abusos sexual e moral (emocional) em mulheres sejam em épocas de infância, adolescência e adulta.

Cynthia James é uma mulher extraordinária a qual vim a pouco conhecer através de um seminário on line e gratuito e quanto ao seu trabalho junto as mulheres africanas frente as mazelas da sociedade e a incompetência para lidar com questões como esta.

Cynthia sabe por experiência própria o quão desanimador, apático e destruidor faz uma pessoa sentir após um acontecimento doloroso, ou uma série de eventos dolorosos que ocorrem sem prévio aviso.

“Eu vim de uma infância violenta de abuso sexual” diz James, Ministra na Igreja Hi Church em Lakewood, Colorado. “Eu vivi minha adolescência, meus 20 e 30 com este paradigma”.

Quando ela esteve no fundo do poço, a “Reverenda Cynthia”, como costumam chama-la, iniciou seus estudos em princípios da Ciência da Mente e do Espírito, um movimento baseado em livros de Ernest Holmes. Ela utilizou estes princípios para olhar de forma coerente para sua vida – tentando retirar profundamente padrões negativos e se treinar para pensar diferente.

“Nós atraímos o que pensamos e sentimos” diz a Reverenda Cynthia. Este conceito de “Lei da Atração”, amplamente publicado no documentário “The Secret” é também uma Ciência da Mente e do Espírito ensinando passos para uma vida de sucesso. “Você é responsável e deverá escolher”, explica Rev. Cynthia.

“Mas”, ela avisa, “isto levará tempo para criar a vida de sucesso que almeja”.

Ela sugere estas 5 ações voltadas para a libertação espiritual das dores dos eventos do passado para sentir sua vida com alegria e paixão.

1 – Descreva em um papel sua vida e o que você não mais precisa

Você está viciada em algum comportamento autodestrutivo como álcool, comida ou sexo para se livrar de emoções que te relembram de eventos do seu passado? Se você está atenta a comportamentos que não quer mais, você poderá com maior facilidade identifica-los.

2 – Pare de permitir que sua “história” e seu passado defina você e seu futuro

Escute a si mesma quando você contar sua história toda vez. Perceba as reações das pessoas. Se você puder focar sua atenção no agora do que no passado, você poderá mudar sua vida hoje.

3 – Preste atenção em como as dores do passado se manifestam fisicamente em seu corpo

Seu passado, inclusive o passado de seus ancestrais, estão incorporados em sua mente, no seu espírito e no seu corpo físico – e esta história irá aparecer em várias circunstâncias. Comece a explorar a linguagem do seu corpo e pratique formas de liberar a dor em um nível físico através de música, meditação, e corpo-mente como a yoga, dança, t’ai chi ou chi kung.

4 – Aprenda auto-cuidados essenciais

Coloque-se em primeiro lugar mentalmente, emocionalmente, fisicamente e espiritualmente praticando exercícios, comendo saudavelmente, meditando, orando. Cuide de você mesma de forma a lhe possibilitar uma presença consciente quando for ajudar aos outros.

5 – Defina sua intenção, foque sua atenção nela, e se comprometa com ela

Tente se inspirar em um “mapa da vida” da seguinte forma: Junte imagens de jornal ou revista e palavras que descreverão a vida que você quer ter e as cole em uma cartolina ou qualquer outro lugar que fique bom pra você. Coloque este mapa em um local que você verá todos os dias. Este mapa da vida e um tipo de afirmação que ajudará a sentir mais desejo em direção a sua nova realidade, e mantendo isto como sua prioridade ajudará nas escolhas de suas ações todos os dias.

Mudar os pensamentos ainda parecem muito difíceis? Se sim, Reverenda Cynthia implora para se diferenciar. “Você está trabalhando duro de toda forma! Tantas pessoas me dizem que estão lutando; e lutar não é o mesmo que trabalhar duro?” ela diz. 

Todas nós somos únicas e maravilhosas. Curar e se libertar é uma escolha. Não há nada que já aconteceu com você e que poderá impedir sua grandeza”.


Fonte: Rev. Cynthia James
Tradução: Nádia Bouças


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

5 hábitos para aumentar 30% sua produtividade


Brendon Burchard é um dos top trainers do mundo. Obteve Bestselling pelo New York Times, está em #1 como Desenvolvimento Humano no canal do Youtube, e é uma das 100 pessoas mais conhecidas no Facebook. 

Estou te contando isto pois ele é obcecado com alto desempenho e com estas etapas a seguir irá nos ajudar a chegarmos em níveis extraordinários de clareza, sucesso e influência na vida.

Portanto, antes da semana ficar louca, inicie com estas 5 etapas e você ficará 30% mais produtivo (e energizado):

1. Dormir 50 minutos a mais. A menos que você costume dormir 8 horas por noite, explodirá sua rotina de sono regular por 50 minutos. Isto significa ir para a cama 50 minutos mais cedo. O sono extra vai melhorar seu ganho cognitivo em 22% no prazo de 7 dias. Ótimo! Além disso, você terá mais energia para fazer outras coisas, e você vai ser mais gentil com os outros - sim, a ciência comprova isso.

2. Utilize 50 minutos na parte da manhã se alongando e sendo estratégico. Iniciar com 20 minutos (eu recomendo yoga), em seguida, criar estratégias para seu dia por 30 minutos. Isto significa que você não irá verificar e-mail ou responder a outros nos primeiros 50 minutos do dia. Isto vai mudar a sua vida. A caixa de entrada é nada além de um sistema de organização conveniente de agendas de outras pessoas; Então, se você começar o dia em sua caixa de entrada irá moldar o dia em reação ao que não foi pensado inicialmente. Em vez disso, entre em sintonia com seu corpo, em seguida, sente e decida sobre os grandes projetos e prioridades que você vai avançar hoje.

3. Trabalhar / criar em blocos de tempo de 50 minutos. Durante estes blocos, nada é permitido acontecer a não ser que você se concentre e trabalhe. Você não irá atender ligações, olhar para a sua caixa de entrada, navegar na net ou iniciar outras atividades. Você fará apenas uma coisa. Separar quatro blocos destes por dia e é por isso que, em poucos anos, Brendon Burchard se tornou "o desenvolvedor e treinador de conteúdo mais produtivo do mundo com o desenvolvimento pessoal." Ele acumulou 3MM seguidores e construiu uma empresa de 8 dígitos. A palavra é FOCO.

4. A cada 50 minutos, faça uma pausa. Defina um alarme no seu telefone para se dispersar a cada 50 minutos. Isso ajuda a obter esse tempo de blocos separados, mas também faça exercícios como esticar e hidratar a cada hora. Não importa o que estará fazendo, não importa o quão interessado ou apaixonado, na marca de 50 minutos levante, beba água, alongue ou caminhe, mesmo que apenas 5-10minutos. Este espaço de tempo refresca a mente, permite ao corpo realinhar depois de se sentar e assim acumulará enormes reservas de energia.

5. Renove em um tempo de 50 minutos. Faça 20 minutos da técnica da Meditação de entrega a cada dia, e eu ande rapidamente por 30 minutos - a cada dia. Isso são 50 minutos no total do dia para se concentrar completamente na renovação de energia. “Sim, eu também trabalho fora todos os dias, mas isso não é contado neste ou em outros blocos de 50 minutos’ recomenda Brendon. Estes 50 minutos de renovação total de cada dia é uma obrigação para alto desempenho para quem quer ser criativo, energizado e sem stress.


Fonte: Brendon Burchard 

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

7 Dicas para Manter suas Determinações


As decorações de Natal já foram encaixotadas a algum tempo e embora seus pés possam ainda estar doloridos das três semanas que passou nas pistas de dança, é hora de aceitar que o pó do confete da temporada de férias finalmente acabou. Tempo para assumir majestosamente as páginas em branco de um Ano Novo!

Claro que a cada janeiro, vem a mesma velha pergunta: qual é a sua intenção neste Ano Novo? Como você começará do zero? É um tempo que nos desafia a dar uma olhada em nossas vidas diárias e encontrar algumas pequenas maneiras de melhora-la. Este ano, eu tomei uma nova perspectiva para decisões sobre anos novos e estou animada para compartilhar minhas dicas para ajudá-lo a atingir metas mais vantajosas para 2016... e realmente alcançá-las!


Dica #1, Reflita, e olhe pra trás
Quando eu me sento para pensar nas minhas intenções para um novo anovo, eu sempre olho pra trás, para o ano que se passou. Quais foram os obstáculos que eu superei? O que eu fiz bem, e o que eu desejo ter feito melhor? O que eu aprendi em 2015? 
Quando você faz estas perguntas a si mesmo, esperamos que algumas ideias comecem a surgir. Caso não, lembre-se de um amigo! Rememore suas lembranças favoritas que dividiram ou desafios que ajudaram um ao outro , e use isto como uma visão para o ano que se inicia.




Dica #2, Faça uma meta para sua evolução
Enquanto comer bem e exercitar são sempre ótimos para manter a excelência, este ano meu desafio é ser mais pensativo sobre promessas que faço a mim mesma em benefício a outra pessoa. Estou fazendo metas para parar de chegar atrasada sempre. Meu marido é ótimo e paciente ..... mas está irritantemente a tempo pra tudo. Eu, de outra forma, tenho o hábito de me produzir para qualquer encontro, rímel, blush na mão, uns bons cinco – pra quê enrolar – quinze minutos atrasada.  Então quando eu alcançar esta meta, sei que quem irá adorar será meu marido, o que me motiva ainda mais a persistir.




Dica # 3, Faça uma meta para melhorar os outros
Como você fará um esforço para impactar alguém este ano? Esta é uma boa determinação para se fazer em grupo. Encontre com seus amigos e pensem em uma forma de ajudar a vida de alguém este ano. Pense grande – como se comprometer uma vez ao mês planejar um projeto filantrópico, ou pequeno – como comprometer-se a fazer aleatoriamente uma gentileza por dia. Estabeleça encontros frequentes para dividir suas experiências entre amigos (também conhecido como happy hour!). Você ficará surpreso como atos diários como estes podem somar ao longo do ano, e quão fácil é realizar estas metas quando se tem um time ajudando você com essas responsabilidades.





Dica # 4, Ouse Pensar Grande
Se tem uma dica para determinações no Ano Novo eu tenho ouvido uma constantemente, que é “Ser prática”. Para mim, quero estabelecer algumas metas além das últimas. Pense na sua grande ideia para este ano – algo fora da sua zona de conforto – que te leve a alcança-la. Este ano, eu digo para ousarmos em sermos um pouco menos práticos. Mais diálogo e trocas de conhecimento por favor!





Dica #5, Estabeleça um prazo firme
Sejamos realistas quando temos esperanças em cada promessa a ser realizada da sua lista. 3 meses? 9 meses? Bem na época de aproveitar o verão, ou antes do casamento da sua melhor amiga? 
Estabeleça um tempo rígido que irá lhe permitir uma margem de manobra suficiente (considere imprevistos) para todas suas novas ações, possibilitando novas conquistas – especialmente se esta criando um novo hábito.
Depois, pegue um marcador e circule a data no seu calendário. Uma contagem regressiva para sua meta pode ser justamente a motivação que você precisava para continuar a sua determinação do ano. E não se esqueça, quando você alcançar sua meta, se orgulhe e vibre intensamente!





Dica # 6, Cada um por si
Não deixe que outros lhe empurrem seus próprios “métodos para o sucesso” goela abaixo – incluindo eu! As intenções e determinações do Ano Novo são feitas para trazerem mais alegria e positividade em sua vida, e não um ataque de pânico.
Não existe uma regra pra todo mundo quando falamos em realizar e continuar suas aspirações, então a abordagem que cada um possui para alcançar seus objetivos e resoluções são diferentes.





Dica #7, Foque na sua jornada
...não no resultado. Mesmo se eles não forem exatamente como você imaginou, ou você deixou algumas metas de lado, apenas lembre-se do que aprendeu sobre você mesmo durante a caminhada. Se o propósito do Ano Novo é ter uma iniciativa para ter uma vida bem vivida, fazendo isso já não conta?

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Reavalie suas Prioridades


Durante e após o banho vários insights vieram como download em minha mente.
Toda mulher deveria saber o quanto um banho a luz de velas (não é preciso um banheiro chique com banheira * o meu tem só o box e é 3 x 2..rsrs) e enquanto a ducha libera a água quentinha na minha cabeça me vem o pensamento: isso é um hábito que criei para me conectar comigo mesma, enquanto isto ouço um sonzinho bem legal amenizando qualquer besteirinha que pudesse vir a me atormentar neste momento.

Uma coisa de cada vez..

Saio do banho, me enxugo gentilmente com a toalha e pego o body cream e foi tão engraçado porque toda vez que vou passar creme no corpo aproveito pra passar nas duas pernas de uma só vez (a mão direita na perna direita e a mão esquerda na perna esquerda) – sempre faltava creme para as coxas!
Hoje foi diferente.
Peguei um tanto de creme, apoiei minha perna esquerda no vaso e passei com as duas mãos o tanto de creme na perna inteirinha e Voilá! Neste mesmo instante me lembrei de uma sessão de terapia a anos atrás em que minha psicóloga me presenteou com uma enorme escova para lavar o corpo e o objetivo era falar com cada parte do meu corpo enquanto eu estava tomando banho. Ex.: Lavando o braço direito – “agora estou lavando o braço direito”, etc. E sabe porque estou te contando isso? Uma palavrinha bem conhecida: Ansiedade
Terminei passando o creme no corpo e me orgulhei por ter percebido algo tão simples e ao mesmo tempo tão óbvio!

Hábitos

Sim, vou dar meu braço a torcer ao meu marido que já vem me pedindo pra ler o livro O Poder do Hábito de Charles Duhigg que até hoje não li (só comecei...hehe) e te confirmo que tudo o que venho fazendo de mudança nos meus hábitos estão sendo de gigante transformação  na minha vida, seja física, psíquica, mental, emocional.
Imagine você que sabe que deve beber ao menos 1,5 litros de água por dia mas simplesmente não bebe, por mais que tente. Então de repente hoje me deparo bebendo mais de 2l por dia! Isso não é de se vangloriar!!??!! Parabéns pra mim! Hahaha
Com a água eu peguei uma garrafinha de 500ml e mudei o hábito de ao invés de deixa-la vazia, ela está sempre cheia, e quando tomo toda a água já logo me levanto pra enche-la de novo. Xô preguiça!

Revelando um Segredo (alguns vai....rsrs)

Reparei que vinha lutando pra fazer ginástica, yoga, beber água, escrever artigos, acordar cedo, meditar, ler livros, cozinhar, manter a casa limpa, cuidar dos gatos, das plantas, etc,etc.. Tá vendo a ansiedade ai? Pois é! Mas era tudo que estava nos meus projetos de 2016 poxa!
E foi aí que eu percebi que eu estava relutante comigo mesma pois as atividades que eu queria fazer estavam agindo como uma imposição e isso tira toda nossa vontade de perseverar. É a tal da auto sabotagem people!
Hoje estou fazendo tudo isso (exceto cozinhar porque o marido é um expert) e sabe como? Sem imposições! Sem luta! Apenas deixei rolar.
Mas o principal de tudo foi: fazer uma coisa por vez.

Reavalie suas prioridades

Este é um “quote” de uma carta que ganhei de presente de uma professora de yoga. E essa carta virou um quadrinho no meu escritório e todo santo dia ela fica na minha frente pra reflexão.
Ok, estou fazendo tudo que está no meu projeto mas com sabedoria, e a tecnologia possibilita colocar despertadores para nos lembrar de fazer ginástica, ler livro durante xx horas, beber água, etc.
 Hoje o despertador não serve só para te fazer pular da cama mas no sentido literal da palavra, faz você despertar para a atividade ou o lazer que você programou pra fazer. Então organizar seus horários e priorizar o que quer fazer é essencial também para cumprir tudo o que vem almejando fazer.

Tempo é valioso

Pra finalizar este post vou fazer o mesmo que fiz no último post pois pra mim é de grande valia e uma dica importante: sabermos o que gostamos e não gostamos; o que queremos e o que não queremos.
Quando minha terapeuta me pediu para escrever uma lista de coisas que eu gostava de fazer fiquei impressionada pois me lembrei só de 3 coisas e ter consciência disso é necessário para que o seu tempo seja um investimento te beneficiando com felicidade e alegria ao invés de puro stress e tristeza.
Fazer academia em exagero pode gerar stress, você sabia disso? Então se ligue em exercícios que você curta e que te faça sentir bem.

Espero que tenha curtido essas infos. O que você achou? Queria saber!
Um grande abraço,

Namastê,

Nádia

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Confesso um Descontrole

Este mês de janeiro de 2016 veio cheio de novidades pra mim com muita criatividade, interatividade, e agora vejo que não é a toa o que dizem por ai " 2016 é o ano de Renascimento do Sol" segundo os astrólogos, começando metodicamente por volta do dia 22 de março.

Contudo me veio um nó na garganta com o tanto de metas que coloquei na minha lista de "coisas que quero fazer em 2016" e este nó na garganta vem me perseguindo já a alguns anos, e apesar de estar convivendo com este nó, descobri que ele é na verdade um sinal de que alerta ou algo que não está certo. Afinal ter nó na garganta é a sensação de estar sendo esganada, por mim mesma.

Muitos projetos a cumprir pois quero colocar toda minha criatividade e conhecimento pra fora seja em forma de texto para que chegue às pessoas através do blog, tenho o projeto de criar um site oferecendo cursos via webinar e e-books gratuitos, estou com uma montanha de livros para ler e alinhar mais e mais meus conhecimentos. Estou implantando o método GTD na minha vida para colocar as idéias em prática e concretização, quero, quero, quero....UFA!

Você está assim também?!
Pois graças a um artigo que li me liguei que estava no piloto automático e consegui me acalmar.

Então vou comentar algumas técnicas quando estamos no "modo stress".

Para explicar melhor nosso cérebro possui o sistema reptiliano que nossos ancestrais usavam para que pudesse ficar, correr ou lutar contra predadores da época. Portanto nosso sistema neurológico avisa quando você está em perigo.

Mas hoje não temos mais "predadores externos" e o que ocorre é que este mesmo cérebro continua funcionando, exceto que os predadores de hoje são pensamentos negativos, metas estressantes, birra de criança, relacionamentos, contas, responsabilidades etc.. e quando lutamos ou fugimos torna toda a coisa ainda pior.

No fim das contas é tudo uma questão de ter tempo. Isto por que vivemos em um mundo moderno e estamos em estado de nervos 24hs por dia, 7 dias por semana respondendo a um estado primitivo que é o nosso cérebro reptiliano.

E aí nos sentimos paralisados - bombardeados pelo estresse experimentando sintomas psicológicos que estamos biologicamente programados para experimentar, respondendo ainda da forma primitiva que aprendemos.

Quando isto se prolonga o estresse causa um efeito negativo na sua saúde e na sua vida. Efeitos nocivos como pouco sono, um sistema imunológico comprometido, função digestiva desequilibrada, aumento de gordura na região abdominal, mudança na pressão arterial, fadiga mental, mau humor, ansiedade por doce, inflamações, e dores crônicas.

Eu tive experiências com a maioria e nenhuma delas é legal de se ter. A pior parte era quando precisava acordar pois eu estava tão esgotada e exausta a ponto de me entregar.
Não é de admirar porque tive estresse!

Reinicie seu relacionamento com o estresse

Quando finalmente me dei conta de que o lugar de onde ele vinha era por amor e proteção, eu decidi de uma vez por todas remendar meu mal relacionamento com o estresse.

Estou convencida que nosso relacionamento com o estresse é uma relação que não pode deixar de ser curada. Nossa saúde, felicidade e sanidade estão conectados a isto.

Aqui estão 3 etapas para que você possa re-iniciar seu relacionamento tóxico com o estresse e restaurar o seu lugar de direito que é como sendo o seu aliado. (by Catarina Andrade)

1. Mude sua mentalidade quando se falar em "estresse"


Pare de falar mal sobre o estresse culpando-o por arruinar sua vida. Não é uma força externa do mal querendo te pegar, portanto mostre a si um pouco de respeito. Primeiramente para que ele fique do seu lado, você precisa acreditar que ele está do seu lado e que você está no controle.

Acreditando que o estresse tem seus melhores interesses em mente, agora eu me pergunto: O que minha experiência de estresse agora está tentando me dizer?

Para mim é frequentemente um sinal de que eu tomei muitas decisões ao mesmo tempo e preciso desacelerar. Ou, que tenho priorizado todos os outros e não fui tomando conta de mim mesma.

2. Conserte a sua relação com o estresse.

Em vez de julgar o stress, começar a se esforçar para conhecer suas respostas ao estresse. Como qualquer relacionamento de suporte que é baseado na confiança e no respeito mútuo, o primeiro passo é ouvir. Preste atenção e fique curioso:

Como é a sua experiência única de sentir o stress?
Quais são os seus gatilhos?
Onde é que o estresse aparece em sua vida?

"Eu sinto o stress nas costas, pescoço e dor no ombro, associada a uma sensação de aperto no estômago que é muitas vezes acompanhada de problemas digestivos." 

Já eu tenho nós na garganta, um aperto que tira me fôlego e sinto falta de ar além de aperto no joelho esquerdo.

Alguns dos gatilhos incluem prazos de trabalho, o agito de viagens (correndo para conseguir um milhão de coisas feitas antes de uma viagem), privação do sono, a combinação mortal de glúten e produtos lácteos, minha caixa de entrada de e-mail, sentir apressado, e ter que buscar o meu filho e colocá-lo en seu assento de carro.

3. Altere o modo como você se envolve com o estresse.

Aprenda a se acalmar quanto a sua resposta ao estresse. A maioria de nós não sabe como ou porque não fomos ensinados. É tão simples como aprender algumas novas habilidades para colocar em uso quando você sente estresse recebendo o melhor de você, e comprometendo-se realmente a usá-los.

A mãe natureza não nos teria dado uma resposta altamente sensível de estresse se não precisássemos dele. Ela também não teria feito isso sem nos equipar com maneiras simples para desligá-lo. Respiração, riso, meditação, e mudar o nosso diálogo interno são alguns exemplos disso.

Nós nos tornamos tão ocupados em nossas vidas que perdemos contato com esse estresse e transformamos em nosso inimigo.Isto é incapacitante porque estamos realmente no controle de nossa mente e corpo, de modo que estamos no controle de nossa experiência de stress.

Eu uso técnicas diferentes para desligar a minha resposta ao estresse, dependendo do gatilho e do estresse que estou enfrentando, o quanto desesperada eu estou, e onde estou. Alguns são mais propício para ser feito em público do que outros. Recentemente, fiz uma meditação kundalini onze minutos com os braços no ar em um avião, mas muitos achariam estranho!

Quando é uma pessoa me causando perturbação como o meu bebê quando ele está em modo de birra-eu descobri que é importante manter-se presente, conectado, e "ser legal". Nesses casos eu escolho técnicas que não envolvam fechar os olhos ou fazer qualquer coisa que seja visível ou óbvia com o meu corpo.

Por exemplo, atualmente estou amando silenciosamente repetir a frase "tudo está bem" na minha cabeça quando eu sinto os meus níveis de estresse crescente, e combinando isso com respiração abdominal.

Primeiro, levo a consciência para a respiração. Respiração através do nariz, conscientemente começo a abrandar e aprofundar a respiração, certificando-se de que o meu abdômen também está se expandindo para fora (na inspiração) e contratação (na expiração) a cada respiração. Colocando a mão na minha barriga ajuda.

Então, eu começo a repetir a frase "tudo está bem" na minha cabeça enquanto eu inalo, e repito novamente ao exalar. Enquanto faço isso, mantenho minha consciência em minha respiração e no movimento do meu abdômen. E continuo repetindo esta frase padrão de respirar por um minuto, ou mais, se necessário.

Diminuir o ritmo da minha respiração me ajuda a conectar com o momento presente e desliga automaticamente as respostas ao estresse do meu corpo. Repetindo "tudo está bem" remodela meus pensamentos e sinais na minha mente de que eu estou segura, também ajuda na mudança do modo de "luta ou fuga".

Basicamente, eu estou me assegurando de que não há predador no quarto, e isso é bom para relaxar!"

Agora o link: http://tinybuddha.com/blog/why-stress-is-good-for-you-and-how-to-respond-to-it/

Este artigo me ajudou a recolocar meu estresse no lugar certo e seguir em frente sem paranóia, levando um dia de cada vez.

Namaste
Nádia

Google+ Followers

DISK 180

DISK 180
Central de Atendimento à Mulher é gratuita e funciona 24 horas por dia, de segunda a domingo, para orientar a mulher vítima de agressão.