segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Confesso um Descontrole

Este mês de janeiro de 2016 veio cheio de novidades pra mim com muita criatividade, interatividade, e agora vejo que não é a toa o que dizem por ai " 2016 é o ano de Renascimento do Sol" segundo os astrólogos, começando metodicamente por volta do dia 22 de março.

Contudo me veio um nó na garganta com o tanto de metas que coloquei na minha lista de "coisas que quero fazer em 2016" e este nó na garganta vem me perseguindo já a alguns anos, e apesar de estar convivendo com este nó, descobri que ele é na verdade um sinal de que alerta ou algo que não está certo. Afinal ter nó na garganta é a sensação de estar sendo esganada, por mim mesma.

Muitos projetos a cumprir pois quero colocar toda minha criatividade e conhecimento pra fora seja em forma de texto para que chegue às pessoas através do blog, tenho o projeto de criar um site oferecendo cursos via webinar e e-books gratuitos, estou com uma montanha de livros para ler e alinhar mais e mais meus conhecimentos. Estou implantando o método GTD na minha vida para colocar as idéias em prática e concretização, quero, quero, quero....UFA!

Você está assim também?!
Pois graças a um artigo que li me liguei que estava no piloto automático e consegui me acalmar.

Então vou comentar algumas técnicas quando estamos no "modo stress".

Para explicar melhor nosso cérebro possui o sistema reptiliano que nossos ancestrais usavam para que pudesse ficar, correr ou lutar contra predadores da época. Portanto nosso sistema neurológico avisa quando você está em perigo.

Mas hoje não temos mais "predadores externos" e o que ocorre é que este mesmo cérebro continua funcionando, exceto que os predadores de hoje são pensamentos negativos, metas estressantes, birra de criança, relacionamentos, contas, responsabilidades etc.. e quando lutamos ou fugimos torna toda a coisa ainda pior.

No fim das contas é tudo uma questão de ter tempo. Isto por que vivemos em um mundo moderno e estamos em estado de nervos 24hs por dia, 7 dias por semana respondendo a um estado primitivo que é o nosso cérebro reptiliano.

E aí nos sentimos paralisados - bombardeados pelo estresse experimentando sintomas psicológicos que estamos biologicamente programados para experimentar, respondendo ainda da forma primitiva que aprendemos.

Quando isto se prolonga o estresse causa um efeito negativo na sua saúde e na sua vida. Efeitos nocivos como pouco sono, um sistema imunológico comprometido, função digestiva desequilibrada, aumento de gordura na região abdominal, mudança na pressão arterial, fadiga mental, mau humor, ansiedade por doce, inflamações, e dores crônicas.

Eu tive experiências com a maioria e nenhuma delas é legal de se ter. A pior parte era quando precisava acordar pois eu estava tão esgotada e exausta a ponto de me entregar.
Não é de admirar porque tive estresse!

Reinicie seu relacionamento com o estresse

Quando finalmente me dei conta de que o lugar de onde ele vinha era por amor e proteção, eu decidi de uma vez por todas remendar meu mal relacionamento com o estresse.

Estou convencida que nosso relacionamento com o estresse é uma relação que não pode deixar de ser curada. Nossa saúde, felicidade e sanidade estão conectados a isto.

Aqui estão 3 etapas para que você possa re-iniciar seu relacionamento tóxico com o estresse e restaurar o seu lugar de direito que é como sendo o seu aliado. (by Catarina Andrade)

1. Mude sua mentalidade quando se falar em "estresse"


Pare de falar mal sobre o estresse culpando-o por arruinar sua vida. Não é uma força externa do mal querendo te pegar, portanto mostre a si um pouco de respeito. Primeiramente para que ele fique do seu lado, você precisa acreditar que ele está do seu lado e que você está no controle.

Acreditando que o estresse tem seus melhores interesses em mente, agora eu me pergunto: O que minha experiência de estresse agora está tentando me dizer?

Para mim é frequentemente um sinal de que eu tomei muitas decisões ao mesmo tempo e preciso desacelerar. Ou, que tenho priorizado todos os outros e não fui tomando conta de mim mesma.

2. Conserte a sua relação com o estresse.

Em vez de julgar o stress, começar a se esforçar para conhecer suas respostas ao estresse. Como qualquer relacionamento de suporte que é baseado na confiança e no respeito mútuo, o primeiro passo é ouvir. Preste atenção e fique curioso:

Como é a sua experiência única de sentir o stress?
Quais são os seus gatilhos?
Onde é que o estresse aparece em sua vida?

"Eu sinto o stress nas costas, pescoço e dor no ombro, associada a uma sensação de aperto no estômago que é muitas vezes acompanhada de problemas digestivos." 

Já eu tenho nós na garganta, um aperto que tira me fôlego e sinto falta de ar além de aperto no joelho esquerdo.

Alguns dos gatilhos incluem prazos de trabalho, o agito de viagens (correndo para conseguir um milhão de coisas feitas antes de uma viagem), privação do sono, a combinação mortal de glúten e produtos lácteos, minha caixa de entrada de e-mail, sentir apressado, e ter que buscar o meu filho e colocá-lo en seu assento de carro.

3. Altere o modo como você se envolve com o estresse.

Aprenda a se acalmar quanto a sua resposta ao estresse. A maioria de nós não sabe como ou porque não fomos ensinados. É tão simples como aprender algumas novas habilidades para colocar em uso quando você sente estresse recebendo o melhor de você, e comprometendo-se realmente a usá-los.

A mãe natureza não nos teria dado uma resposta altamente sensível de estresse se não precisássemos dele. Ela também não teria feito isso sem nos equipar com maneiras simples para desligá-lo. Respiração, riso, meditação, e mudar o nosso diálogo interno são alguns exemplos disso.

Nós nos tornamos tão ocupados em nossas vidas que perdemos contato com esse estresse e transformamos em nosso inimigo.Isto é incapacitante porque estamos realmente no controle de nossa mente e corpo, de modo que estamos no controle de nossa experiência de stress.

Eu uso técnicas diferentes para desligar a minha resposta ao estresse, dependendo do gatilho e do estresse que estou enfrentando, o quanto desesperada eu estou, e onde estou. Alguns são mais propício para ser feito em público do que outros. Recentemente, fiz uma meditação kundalini onze minutos com os braços no ar em um avião, mas muitos achariam estranho!

Quando é uma pessoa me causando perturbação como o meu bebê quando ele está em modo de birra-eu descobri que é importante manter-se presente, conectado, e "ser legal". Nesses casos eu escolho técnicas que não envolvam fechar os olhos ou fazer qualquer coisa que seja visível ou óbvia com o meu corpo.

Por exemplo, atualmente estou amando silenciosamente repetir a frase "tudo está bem" na minha cabeça quando eu sinto os meus níveis de estresse crescente, e combinando isso com respiração abdominal.

Primeiro, levo a consciência para a respiração. Respiração através do nariz, conscientemente começo a abrandar e aprofundar a respiração, certificando-se de que o meu abdômen também está se expandindo para fora (na inspiração) e contratação (na expiração) a cada respiração. Colocando a mão na minha barriga ajuda.

Então, eu começo a repetir a frase "tudo está bem" na minha cabeça enquanto eu inalo, e repito novamente ao exalar. Enquanto faço isso, mantenho minha consciência em minha respiração e no movimento do meu abdômen. E continuo repetindo esta frase padrão de respirar por um minuto, ou mais, se necessário.

Diminuir o ritmo da minha respiração me ajuda a conectar com o momento presente e desliga automaticamente as respostas ao estresse do meu corpo. Repetindo "tudo está bem" remodela meus pensamentos e sinais na minha mente de que eu estou segura, também ajuda na mudança do modo de "luta ou fuga".

Basicamente, eu estou me assegurando de que não há predador no quarto, e isso é bom para relaxar!"

Agora o link: http://tinybuddha.com/blog/why-stress-is-good-for-you-and-how-to-respond-to-it/

Este artigo me ajudou a recolocar meu estresse no lugar certo e seguir em frente sem paranóia, levando um dia de cada vez.

Namaste
Nádia

Google+ Followers

DISK 180

DISK 180
Central de Atendimento à Mulher é gratuita e funciona 24 horas por dia, de segunda a domingo, para orientar a mulher vítima de agressão.